A arte da paciência

4:37 PM

E o que se tem a fazer quando uma montanha de pensamentos ruins paira sob sua mente? Como agir diante de um mau presságio? Sendo talvez um presságio que você já conhece, sempre com os mesmos sinais... É engraçado que na maioria das situações, eu já sei a força, eu já conheço os sinais, mas não saio do campo vazio, perigoso. As pessoas estão fadadas ao erro, muito ou pouco, todos comentem, e talvez o meu seja errar por acreditar tanto que os erros são corrigíveis, acreditar que está tudo bem e todos vêem algo que parece que eu não vejo. Eu não vejo... Ou prefiro não ver, se é que percebo na verdade. Há momentos em que eu entupo a mente de perguntas sem resposta, perguntas que eu não precisava me fazer, angustias que eu não precisava sentir, mas sinto, pergunto, não é fácil como eu queria. Não consigo compreender como a suavidade e a frieza, podem andar tão próximas. Na verdade, eu nunca vou entender como alguém pode dar um tapa ao receber um afago, ter atitudes controversas, jogando pro ar qualquer expectativa. Que cada um tem seus motivos eu estou careca de saber, mas daí a me convencerem de que fatores externos e corriqueiros modificam coisas fundadas numa rocha, não é pra mim, não da pra entender, aceitar tão pouco admitir. O pior erro de algumas pessoas é não se portarem na situação alheia, a famosa arte de se colocar na situação do próximo, afinal de contas, todos os dias nós sofremos mudanças e em alguns casos são tão intensas que jamais voltam. As pessoas de hoje podem não ser as mesmas de amanhã, logicamente que não é sem motivo. Bom, chega de subjetividade... Como diria minha mãe, a ingratidão tira afeição. Seria maravilhoso se todas as pessoas pudessem sentir uma única vez que fosse como é estar na pele de outra.

You Might Also Like

0 comentários