Voici mon secret

12:50 PM

Adoro falar de responsabilidades, seja em qual área da vida for. Existe aquela responsabilidade de pai pra filho, de filho pra pai, de indivíduos perante a sociedade e existe a mais legal de todas, na minha opinião – a responsabilidade acima de tudo, uma vida é responsável pela outra. Tem até a famosa frase do Pequeno Príncipe, que diz “Tu deviens responsable pour toujours de ce que tu as apprivoisé”, ou em bom português, “Tu te tornas eternamente responsável pelo que cativas”. Pois bem, ser responsável pela vida de uma pessoa torna tudo bem mais complicado, devemos admitir isso. Envolve literalmente a responsabilidade, preocupação, afeto, respeito, entre outras mil coisas (principalmente se o exemplo tratar de pessoas que se gostam). Até certo tempo eu não me dava conta disto, vivia ouvindo de pessoas mais experientes esse tipo de coisa, mas me parecia meio sem fundamento. Enfim, eu percebi o peso, a carga que somos condicionalmente forçados a carregar, se referindo à família, por exemplo... Devemos muito a essas pessoas, se for num grupo de amigos ou relacionamento idem. Em todo caso, a carga é recíproca, pois da mesma maneira que somos responsáveis por alguém, outro alguém é por nós e sempre será assim. Me magoa as vezes ver filhos que não valorizam seus pais, o que já fizeram por eles e agem como se suas ações não os atingissem. Talvez seja um fator bem mais alem de qualquer intermediação social, isso é criação, cultura, valor e infelizmente ou felizmente morremos com ele. Entrando num outro lado, também é ruim perceber relacionamentos fracassados porque um dos dois lados não cumpriu com seu dever responsável; não esteve exercendo seu papel de consciente. É complicado abrir mão de certas coisas porque por natureza a raça humana é egoísta e isso se faz presente em muitas coisas, inclusive vida a dois. Às vezes o egoísmo fala tão alto a ponto de impedir que vejam seus erros, impedir que lutem pra continuar juntos admitindo que todo mundo tem lá seus defeitos; outras vezes, esse egoísmo fala tão alto, que impedem de se amar porque não podem carregar tanta responsabilidade sob o outro. Ok, funciona muito bem na teoria impor regras, o que se deve fazer e tal, mas na prática com certeza é mais complexo. A questão é que, o egoísmo existe, a forma de criação não muda e forma um caráter em cada pessoa, a responsabilidade não é e nunca foi um fator determinante somente de idade e tantas coisas mais; as pessoas deveriam ter um pouco mais de bondade simultaneamente com a responsabilidade, conscientizarem-se de que não existe uma ação sequer que não interfira em outrem, que há sempre alguém que se preocupa, ama e com certeza necessita de nossos esforços sejam eles quais forem em prol de uma segurança de si e o principal: esperando que lhes mostremos que a gente reconhece suas responsabilidades e valorizamos. Isso é ser responsável acima de tudo.

You Might Also Like

0 comentários