O que você é capaz de ver?

11:41 PM

Venho me sentindo muito sozinha ultimamente, diria que ta se tornando anormal. A vida inteira fui sozinha, meu histórico familiar não é dos mais bonitinhos e padrões, mas sempre consegui ser feliz mesmo não tendo o modelo perfeito de família. Era e é perfeito pra mim. As coisas são mais difíceis de lidar quando não se tem um apoio de algum lado familiar, ou muitas pessoas em quem confiar, talvez até por uma herança dessa questão familiar, a psicologia pode explicar. Muitas vezes sinto que estou sendo injusta em tratar meus problemas de forma tão grandiosa, sabendo que há tanta gente em situações desumanas e irreais, mas de qualquer forma, não posso ser hipócrita e fingir que não os tenho. Que todo mundo tem problema, disso eu sei, e que jamais estaremos plenamente satisfeitos, é uma característica bem chata de nós, humanos. Como parte das pessoas sabem, minha vida mudou completamente em meses, mudanças naturais e pequenas pra algumas pessoas talvez, pra mim foi a mudança de planos, de vida, de lugar, de mim. Quando eu mais precisei muita gente não esteve comigo, pelo contrário, me apunhalaram pelas costas, criando marcas que eu ainda não consegui curar totalmente, curar a cabeça é uma coisa, as dores é outra. De toda forma, a questão que quero chegar é que as pessoas estão se tornando mais cômodas e superficiais a cada dia. Não quero generalizar erroneamente, nem criar preconceitos, mas infelizmente é que a maioria dos problemas são maiores, grandes demais pra se olhar pra outro alguém, o individualismo pode ser chamado de egoísmo. Me pergunto aonde foi parar o coração bom, a generosidade, a bondade e só, só isso queria entender. Muitas coisas, eu até apostaria em dizer que todas as coisas são fruto do coração que temos – coração bom colhe-se frutas boas; coração ruim colhe-se frutas podres. O pior é quando a casca dessas frutas é chamativa, bonita e somente por dentro é que se vê quão podre está. O engano também é humano demais, impossível dizer com certeza o que se vê, até porque, os sentimentos confundem. Lembro que desde pequena eu tinha uma tendência anormal a praticar atitudes de apaziguamento entre meus amigos, muitas e muitas vezes, tive minha confiança traída, como acontece até os tempos atuais, e de alguma maneira eu continuo aqui. Firme. Há quem diga que nunca carregamos o peso maior do que suportamos, senão não resistiríamos... Eu posso garantir que já suportei peso demais, dor demais, lágrima demais e sobrevivi. Deve haver um motivo, sem dúvidas. É impossível passar pela vida sem que não se aprenda, se arrependa, colha algo, plante algo, mude a vida de alguém (ao menos na teoria deve ser assim). Metade desses padrões sejam eles reais ou não, eu já obtive: ganhei conteúdo que nem alguns adultos formados possuem. Por fraqueza, fragilidade, força, seja lá o motivo... Eu já derramei muita lágrima, passei muitas noites em claro buscando coisas que nem eu sabia, renunciando momentos que até hoje renuncio por algo que nem sei o que será, mas sinto que virá. A vida nos da recompensas, não tenho dúvidas. As recompensas são boas e ruins, como a fruta que eu já citei, depende de como você planta. Depende do teu coração. Saber amar, saber usar da bondade não depende de uma idade ou formação, trata-se de ter ou não isso dentro de si. Tenho a sensação de que está estampado na minha testa que preciso de carinhos, preciso reconstruir esses estilhaços antes que me cortem mais por dentro, mas na verdade não está estampado, pelo contrário... Difícil demais de ser lido, se fosse simples já teria encontrado uma solução (ou não). Isso é exatamente o que deu inicio ao texto – as pessoas têm dificuldade em enxergar um olhar que clama e dificuldade em olhar acima de seus próprios umbigos, perceberem que outras vidas dependem de esforços externos, como eu me encontro. Isso é um fato, ninguém está livre de necessitar dos outros, é até prepotente ousar e nesse momento eu preciso muito. Não digo um amor, e sim amor, do modo mais simples que venha. Assim como eu, o mundo todo precisa de um olhar que saiba ler o que não se fala ou não se escreve, apenas se vê, sente.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Adorei o texto, amiga, e concordo plenamente (: nós realmente poderíamos deixar um pouco de lado o egoísmo e o orgulho, exteriorizar-nos e prestar mais atenção às pessoas em volta...

    ResponderExcluir
  2. oioi, tô seguindo!
    Me segue tbm ?

    www.laialisafa.blogspot.com
    Bjoos!

    ResponderExcluir