Meu bauzinho

5:07 PM

Falar sobre a infância é sempre gostoso, sempre carrega lembranças muito particulares e ao mesmo tempo a gente revive o agora, há sempre uma ligação de atitudes ou herança disso. Por exemplo, hoje observei que meu prazer em comer sorvete de creme transbordando a borda, principalmente se estiver frio, vem desde minha infância, na mesma quantidade e no mesmo sabor. As minhas Barbies continuam nas mesmas caixas e malas, minha maneira de organizar as roupas, meu medo do escuro, ou até minha paixão por adesivos e papeis de carta, enfim, nada disso mudou. É uma bela herança e pelo visto não vou abandonar tão cedo. Eu era uma criança engraçada pros padrões naturais, detestava me vestir “menininha” demais, e claro que tenho uma teoria que explica facilmente isso – eu queria me ver como meu pai, quer dizer, era uma maneira de ter atitudes que me fizessem sentir mais próxima dele, e tudo mais. Meus tios eram adolescentes (e praticamente me criaram), minha infância se mistura entre Mario Bros, Barbie, Sonic, posters do Policial do Futuro, Iron Maiden e até musicas italianas. Eu só tinha amiguinhos meninos, vivia entre tapas com eles, mas adorava. Bom, é tudo relacionado a minha teoria novamente, etc. O interessante é olhar meu hoje e o que me tornei por conta dessa infância, e me agrada em cada detalhe. Com essas lembranças, eu percebo que o tempo se distancia cada vez mais e às vezes minhas lembranças vão embora, queria lembrar mais coisas, mas infelizmente não é possível e o agora preenche meus dias de tal forma que daqui uns anos, essa fase eu também não vou lembrar com tanta nitidez, e provavelmente rir das coisas que falo. Algumas pessoas tratam do passado de uma maneira injusta, como se fosse uma época de frustração e atitudes bobas e ingênuas demais, mas eu não; eu sempre vejo uma coisa boa seja do ontem, ou de cinco anos atrás, são fases assim como as próximas que virão e precisamos perceber que maturidade não acontece repentinamente, e cá entre nós, depende de muita coisa (principalmente força de vontade). Crianças são tão puras e verdadeiras, às vezes sinto falta da época que eu não entendia uma conversa só em ouvir algumas palavras, ou não conseguia sentir raiva de ninguém por tais atitudes, enfim... Comparo a infância como o café da manhã, que é o mais importante do nosso dia; a infância é o inicio de toda a história, a fase mais delicada e base pra tudo. E novamente estou aqui com meu sorvete de creme transbordando, lembrando de quando minha mãe chegava e eu ia correndo abraçar ela, igual há uns 10 anos, igual ontem, e igual o resto da minha vida.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. O que parece acontecer(geralmente acontece)é que as pessoas temem recordar em meio a tantos fatos,algum que as fizeram se sentir envergonhadas de si mesma,aah tolas são essas!Tem gente que realmente não entende,como você mesma escreveu 'essas fases',cada uma é tratada de um modo,de um jeitinho diferente,a ingenuidade da infância ,a ousadia da adolescência e as topadas da maturidade são coisas marcantes e inevitáveis.Bom mesmo,é poder rir dessas situações que já se foram,mas é claro com moderação(porque tem gente que se prende demais a isso,e culpa a vida atual),lembrar de como foi superado e o quanto foi bom,mesmo tendo sido dificil,e se deliciar com as recordações e com um bom sorvete de creme transbordando :)

    p.s:adorei seu blog,e a sua maneira de escrever. Fascinante!

    ResponderExcluir