...Nunca deixar de ouvir, com outros olhos!

9:56 PM

Ontem eu vi uma mancha nos meus olhos, achei que fosse por conta da lente ou qualquer coisa, não sumiu. Hoje passei o dia de óculos, a falta de costume me fez sujar eles todo o tempo! Limpei, limpei, novamente coloquei os óculos e por alguns momentos que precisei tirar foi tão estranho. Acabei criando uma teoria a respeito disso. É o seguinte, às vezes é importante e até engraçado não enxergar, e não me refiro à miopia e ao astigmatismo, é sobre não enxergar mesmo. Diariamente assistimos a tudo que acontece, as pessoas, aos objetos, lugares, vemos até o que não queremos, ver não é uma opção muitas vezes. Como a mancha real que apareceu nos meus olhos, pode haver uma mancha psicológica em muita gente. Certas vezes a gente vê o que nem acontece, nem existe, mas de alguma maneira acreditamos e batemos o pé que é palpável, real. Talvez seja importante tirar os óculos e confiar nos outros sentidos, a mente engana e engana muito bem! Acostumamo-nos a confiar só no que os olhos enxergam, “se foi visto é verdade” e isso é ilusório, da pra exemplificar com coisas simples – de dia vemos alguns objetos e lugares que pela noite se transformam em coisas totalmente diferentes. Eu forço meus olhos todos os segundos, tento enxergar a essência de tudo e todos; tento entender todos os porquês e erroneamente eu assumo que só ver não basta. Como diz num trecho do Pequeno Príncipe, “o essencial é invisível aos olhos”. Eu ainda preciso aprender a ouvir mais, sentir o cheiro das coisas, o gosto, acostumar todo meu eu a não se guiar somente pelo óbvio, pelo vulnerável e ingênuo olhar. Enquanto eu empresto minha autoestima para os meus óculos brancos, e enxergo parte do mundo enquadrado, meus outros sentidos chamam e parecem querer mostrar todo o tempo que estão aqui, prontos pra que eu os observe.

You Might Also Like

0 comentários