O que é que ficou?

12:35 PM


Dezembro enrolou, mas chegou! Andei em dívida com o blog, mas foi por motivos justos. Há dias tenho me preenchido de muitas informações, muitos textos, momentos, observações, experiências e tudo se transforma em combustível. Como futura psicóloga, eu cheguei à conclusão que não havia profissão melhor pra seguir – na maioria dos casos só consigo ser potencialmente amiga, conselheira e racional para com os outros. O ditado já diz, que em casa de ferreiro, espeto de pau, santo de casa não faz milagre, etc., para comigo sou uma tristeza! Zero de racionalidade e praticidade nas horas necessárias, mas talvez seja isso... As fragilidades que nos sustentam e forma quem somos. Por falar em fragilidade, há muita confusão por aí entre fragilidade e ingenuidade. Estou incluída nisso. Talvez eu seja fraca em alguns aspectos, prefiro chamar de frágil, porém, não significa que não me atento ao redor; me atento e muito! Muitas vezes nos silenciar também é uma atitude, preservar e cuidar do melhor, do que nos faz bem já é uma atitude. A cada idade avançada, final de ano, me orgulho de ser quem sou, exatamente como sou. Bom, chega de falar de mim, o foco é dezembro! Todo final de ano soa como um reset, como se o próximo ano fosse uma nova vida, nova alma, e não é bem assim. Que nunca venhamos a esquecer quem somos e dos valores que temos, humildade! Que o próximo ano conserve nossos melhores momentos, repare nossos erros, mantenha nossa personalidade positiva, honestidade, fidelidade, respeito ao próximo, tudo que existe de melhor. Uma das formas mais gloriosas de se obter algo é com as próprias atitudes. Querer o bem, fazer o bem é fundamental para que o resto venha naturalmente.

You Might Also Like

1 comentários

  1. Adorei esse teu texto também Rai :)
    Um beijo :*
    Rouse ;)

    ResponderExcluir