Segredo

2:42 AM

Estou de coração apertado. Há dias adio escrever, falar, com a esperança de esquecer e essas tantas ideias se dissiparem, como se nunca tivessem passado pela minha cabeça. Sem dúvidas eu só comprovo que o coração é o órgão rei, é supremo de tão misterioso. Eu não sei como um coração pode aguentar tanta dor e continuar ali, batendo todos os dias, mandando sinais alegres para o cérebro, permitindo que haja outros momentos de felicidade, mesmo ainda mantendo uma dor tão intensa que lateja, maltrata sem dó. Eu juro que não sei falar de outra coisa com tanta clareza e encantamento quanto amor. Eu falo muito, falo de cultura, história, sociedade, falo besteira, falo dos outros, como qualquer pessoa falo sobre tudo, mas nada me preenche de tanto prazer quanto falar de amor. Me orgulha, envaidece. Olha, enquanto tento organizar o que eu queria soltar pra fora, me veio algo tão tolo a cabeça, mas é meu e não posso ignorar que penso, e o que penso. Eu me orgulho da dor, isso é como uma resposta da vida dizendo "é assim, Raíssa, você sentiu. Você viveu e acreditou". Eu acreditei, não se apaga do dia pra noite, a lembrança de tudo que foi construído calmamente, infelizmente não desaparece num passe de mágica. Eu tenho tentado com sucesso absorver que me amar e me conhecer é também entender meus dois lados – o que deseja recomeçar e ao mesmo tempo o que sente falta e pesa. Demorei a entender que sentir é assim mesmo, que não preciso me culpar por ser ora mulher de fibra, ora mocinha. Hoje não é como se eu estivesse falando novamente tudo que eu já disse outras vezes, é só porque me deixa meio assustada observar que é feriado, a cidade está deserta, os grupos estão em bares se divertindo, tudo funcionando normalmente, mas eu estou aqui... Me lembrei de algumas ocasiões, o coração apertou. Sei lá, ando num caminho sem rumo, como quem tem um dia ensolarado, mas ainda teme abrir os olhos. Talvez eu tenha medo de me cegar, ou pior, de saber que a visão está intacta e pronta pra continuar sendo usada. De toda forma, só sei dizer que há vestígios que doem, e meu coração me orgulha muito apesar. Fiz um trato com ele, sabe, ele não ignora os motivos de alegria por aí, e eu não o torturo por ter um ritmo próprio. Creio que quem tem amor, tem sorte, e felizmente há muitas maneiras de amar e de amor. Vou firmar mais um trato: caríssimo coração, não permita jamais que eu confunda ou troque diamantes por pedras, e eu jamais, nunca irei impedi-lo de acreditar nos amanhãs. Amanhã será um dia novo, te prometo.

You Might Also Like

1 comentários

  1. :') Amei o texto. Espero conseguir praticar a mesma sabedoria.

    ResponderExcluir