Se derrame. Se der, ame

3:38 PM

O ano finalmente chega aos seus últimos suspiros e eu suspiro junto a ele, como um alívio em dizer que agora é tempo de mudança. Sempre achei que a palavra "mudança" sugeria algo ruim, como se mudar fosse sinônimo de deixar de ser, mas isso não passa de crescimento, aprendizagem e ciclo novo. Tenho me afeiçoado muito por ciclos novos, acho que são necessários pra vida. Como eu só sei falar de amor quase sempre é óbvio que minhas maiores esperanças renovadas para o novo ciclo são focadas nisto. Sabe o que eu mais desejo a mim e aos outros? Que sejamos felizes, sério, sem hipocrisia ou repetindo o que ouvimos todos os anos... Ser feliz dá trabalho. Dá trabalho correr atrás dos sonhos, driblar as dificuldades, os obstáculos vivos, aqueles em forma de gente, são tantos aspectos que no fim das contas é um desafio. Eu desejo mais, no fundo eu desejo principalmente que jamais sejamos prateleiras de alguém. "Amor de prateleira", que só é lembrado como aqueles livros que guardamos e num momento de tédio pegamos, sabe... É com essa mesma metáfora que desejo de coração que não tenhamos esse tipo de relacionamento. Amor ou qualquer troca boa de relação, carinho, deve ser mantido no equilíbrio, cordialidade e respeito. Desejo que as relações sejam bonitas, de amor, amizade, seja qual for que faça bem pra alma. Merecemos mais, mais amor próprio. Não sei se tudo o que estou tentando dizer se encaixa pra maioria das pessoas, mas pra mim em especial cai como uma luva. A oportunidade de modificar um pedaço da história ou do que desagrada é dada todos os dias, mas por diversas questões nos vemos fadados à comodidade, portanto, que o novo ciclo, o próximo ano impulsione, motive e nos preencha de vontade. A vida está à disposição de nós para que façamos dela nossa história, e não o contrário, não somos nós quem está à disposição dela, parados, e esperando que algo caia do céu. Assim como usei a metáfora da prateleira, que se encaixa em vários aspectos, não deixemos que essa situação domine a ponto de esperar que outrem nos puxe dali. A oportunidade é nossa. Obtemos do universo o que achamos que merecemos. Sei lá, de repente se você acha que merece felicidade plena, meu bem, você o terá! Terá porque quer, porque é merecedor disso... E no fundo nós sempre sabemos se o mérito é justo ou não. Eu quero harmonia, quero saúde plena, ir mais vezes de biquíni a praia, comer sem culpa, falar o que vem ao coração sem medo, conhecer mais pessoas, quero mais tardes à toa, beijos e abraços, rir de uma piada boba, rir de uma bobagem qualquer, porque eu acredito que o riso é a forma mais ingênua e verdadeira de se sentir gente. Desejo mudança, que as armaduras velhas saiam de cena e abra espaço pra pele que sente a brisa das coisas, que sente o tocar de uma palavra sincera, que também sinta uma palavra brusca e possa se afastar, que sejamos nós, em totalidade. Ta aí, esse ponto é muito importante: ser nós mesmos sem receios. Se é pra quebrar a cara, ok, o dia seguinte surgirá pra sarar. Se for pra errar, que nunca, em hipótese alguma tenhamos a mentalidade de "antes ele(a) do que eu". Acho que essa coisa de karma funciona muito bem diante dos desejos do coração. Desejar o bem com certeza é mais vantajoso (é claro que às vezes já senti raiva dessa coisa de karma, como se fosse uma vítima da vida, mas isso não vem ao caso). Eu só sei dizer que as esperanças se renovam a cada manhã. Que haja muito tempo e saúde, que as boas companhias surjam pra reafirmar isso, e mais uma coisinha só: que cuidemos MUITO, MUITO bem de nós (essa é principalmente pra mim). Cuidar de si é também cuidar de quem está a nossa volta. Vamos parar de adiar a vida! A oportunidade é hoje, agora, e as escolhas são nossas. Um 2013 incrível pra todos nós!

You Might Also Like

0 comentários