Já entregamos o alvo e a artilharia

1:14 AM

Vivo pra escrever conselhos, quase receitas prontas, mas no fundo, eu não sei de nada, gente! Um dia acordo com ideias revolucionárias, bem desequilibradas e na manhã seguinte já sou a rainha das medrosas. Sei lá, acho que é difícil traçar um objetivo que não depende somente de nós, coisas que envolvem sentimentos, outras pessoas. Aliás, se uma pessoa (com seu universo particular) se torna difícil de lidar, imagina quando aparece mais alguém e potencializa tantas possibilidades. No fundo sei que não existe nenhuma receita de bolo quando se trata de viver, explorar, se permitir. Viver é se deparar com pessoas boas e ruins, frustrações, decepções, tantas coisas incontroláveis, e sempre insisto em dizer: é um desafio. Bom, levando em conta que pra viver precisamos nos permitir, se entregar, acho que é pra poucos, alguns só passam pela vida. Eu tenho sede de viver! Nunca entendi direito essa coisa de fazer o mundo um campo de batalha, onde todos os dias eu saio com a ideia de que pode ser um dia marcado pra eternidade, um acontecimento incrível, etc. Uma guerra e eu PRECISO vencê-la. Sou ariana, com ascendente em capricórnio, mas a lua em escorpião. Vejamos, não sou o tipo de pessoa mais fácil de lidar, em alguns aspectos sou insuportável a mim mesma, mas me respeito assim mesmo. Eu tenho sede de vencer, e mais, qualquer mínima coisa, quando se torna um desafio pra mim, sai de baixo! Quando se trata dos meus objetivos, de algo que eu acredito, me torno uma selvagem em caça. É interessante observar que esse perfil parece atrativo, cobiçado, admirável, mas o preço é alto. Não é fácil estar sempre pronta pra explodir, pra batalhar realmente... Na medida em que me entrego completamente, também estou fadada a sofrer o dobro. Não é clichê, (in)felizmente é assim mesmo que ocorre, e mesmo sabendo que a ordem é esta, não sei ser diferente. Não da. Pra uma boa ariana e meio capricorniana, a vida é um eterno duelo entre querer gritar, enlouquecer e um lado ponderado, que diz "calma, garota, espera um pouco mais". Contraditório, cansativo, mas aprendi. Pra mim é difícil compreender que pra algumas pessoas a vida não é isso, não é uma batalha a vencer todos os dias, as coisas que acontecem não são vistas dessa perspectiva determinista. Enfim, aos poucos, beeem aos poucos tento interiorizar que os motivos e objetivos do outro pertencem ao outro. Sei lá, falo isso, mas parece que tem sempre uma vozinha sussurrando "sim, calminha, mas você sabe o que precisa ser feito". Eu preciso me entregar, machucar, sangrar inteira, se for preciso, nas batalhas que decido enfrentar, mas há sempre o sentimento de que foi honesto, que tentei sem desistir. Pior do que perder algo, é ter o sentimento de que podia ter feito além do que foi feito. Com isso não consigo seguir. Acreditar não é um capricho, é uma meta.

You Might Also Like

0 comentários