Destrua a razão

9:01 PM

Parei de uma vez por todas para relaxar e aproveitar esse momento. Todos os momentos, bons ou ruins devem ser vividos por inteiro, doa o quanto doer, eles são necessários. Quando momentos ruins passam o que resta é só paz de espírito. Eu cansei de impulsividade, de chorar por várias noites, e me prometer coisas sem sucesso. Chega um feliz momento em que percebemos que não adianta dar murro em ponta de faca, esperar reconhecimentos, esperar que o outro aprenda a dar amor na mesma quantidade, e mais, esperar que o outro tenha a decência de soprar o corte que fez. Chega. Desse tipo de sentimento o que resta é a aprendizagem, o sentimento de distância, já que sabemos que amor não é isso. Cheguei num estágio em que esgotei meus próprios limites, depois de transbordar, o líquido sublime da paz ressurgiu. Dominou. Depois de algumas cabeçadas é fácil perceber que sou só uma! Uma mulher que a cada dia cresce mais, e deseja mais e não se contenta com migalhas. Hoje eu digo com toda certeza: Não sou capaz de receber menos, absolutamente sequer uma gota a menos do que dou e mereço. O momento é agora, esperar pelo que pode ser ou pelo que poderia vir a ser é perda de tempo. Vou confessar que em alguns momentos eu acreditei que esse momento, essa paz jamais chegaria! Parece uma dor que nunca sara, quando começava a criar casca eu coçava e doía mais. Bobagem... Dou risada e vejo que a vida não se resume numa pessoa que não se preocupou em proporcionar tranquilidade, pelo contrário. Quanto a essas tantas que apareceram e ainda aparecerão em nossas vidas, deixemos pra o universo responder a altura. Ele nunca falha. De repente fui rindo aqui ou ali de algumas situações, de pensamentos absurdos que eu mesma cogitava. Alguns finais de semana chegavam e os convites pra sair também. Minhas unhas e cabelos precisavam de cuidados, e só eu sei o quanto me dava prazer tirar um sábado inteiro pra cuidar só do meu corpo, de mim! Não sei explicar como acontece, mas de pouco em pouco as coisas ao redor vão dando um impulso maior, nos ajudando a tirar o foco da dor. A grande beleza disso tudo é perceber que, mesmo doendo, muitas outras coisas tratavam de aparecer e dar um novo sentido. Fui me percebendo viva, nova, bonita (modéstia a parte), e uma mulher muito, mas muito interessante. Sempre costumo brincar quando me fazem uma pergunta bastante imbecil, a meu ver, como por exemplo, se já o esqueci ou estou bem. Gente, meu momento é o agora e bom, não tenho Alzheimer apesar de tudo. Com o tempo percebi que as pessoas são especiais, são importantes, mas as essenciais permanecem. As pessoas e amores verdadeiros não se vão. Algumas coisas são boas enquanto duram, mas depois o que sobra disso são lembranças do que foi, e o que foi não é ("jura, Raíssa?!"). Bom, entendam como quiser, o "é" é o agora e só tem espaço para este momento. Eu compreendi que pode até demorar (estou torcendo verdadeiramente para que não!), mas o príncipe aparece. Aquele cara que está com uma insônia na madrugada, então resolve mandar uma mensagem. Um que goste de verduras, como eu, que prefira mil vezes uma noite inteira de DVD's, abraçado comigo a uma balada. Que abra um sorriso quando o celular tocar ao ver que sou eu ligando. Que bata na minha porta de surpresa. Que após uma briga não espere sentado que eu me desculpe por erros que não cometi. Que seja um homem. Esse homem será amado como o primeiro e o último! O coração sofre, coitado, mas é bastante forte, está sempre pronto para recomeçar e abrigar novos moradores.

You Might Also Like

0 comentários