Aquele do orgulho próprio

11:19 PM

Hoje é um daqueles dias que eu desejaria por tudo ter um guia, um manual de instruções me dando o passo a passo do que preciso fazer e claro, as consequências das escolhas tomadas. É muito difícil se responsabilizar pelas próprias escolhas, muitas vezes é impulsividade, talvez com algumas técnicas de respiração a vontade vá embora. Ações geram reações, assim como nossas escolhas. Hoje eu quis tanto ligar, dizer o quanto ainda maltrata e dói se eu encostar naquela ferida. Constantemente me percebo olhando pro nada pensando nas mil possibilidades que gerariam se eu ligasse, se eu mais-uma-vez-como-sempre me pusesse a correr atrás, gritar que, apesar de tudo meu amor é imenso e, amor que é amor, não vai embora como se fosse uma pedra que chutamos do caminho quando incomoda. Amor não é obsessão, não é loucura, falta de orgulho ou amor próprio... É doar-se tanto pela outra pessoa a ponto de compreendê-lo como ser errante, como alguém que às vezes age sem pensar, mas amamos muito pra permitir que vá embora. Minha pouquíssima idade me deu muito material para aprimorar esse amor, travei muitas batalhas internas até compreender que não era doença, não era capricho, não era um sentimento qualquer que já nutri antes... Era amor. Puro. Bom, apesar de toda poesia (lê-se novela mexicana) gerada a partir dessa dualidade entre amor e dor, eu só sei que ficar me lamentando, questionando sem qualquer mínimo estímulo externo não me levará a lugar algum. Quanto mais tempo gastamos em pensar em relações desleais, menos estamos focados no que realmente interessa: o agora. Quem me olha assim com sorriso reluzente, perfume de melhor qualidade, maquiada com mínimos detalhes, entre outras coisas; não faz ideia que essas coisas também são parte do material que construí pra fortificar meus muros. Às vezes me sinto uma burra, ao invés de extravasar, não, construo uma muralha dia após dia de proteção contra desamores em potencial. Bom, não é que eu não queira me permitir e curar de uma vez por todas esse coração... Eu só não quero suportar gratuitamente o insuportável. É mais ou menos assim, é uma sensação de falta e ao mesmo tempo alívio. Quero relações inteiras, alguém que gaste seu tempo na conquista, no conhecer, me conhecer. Alguém que queira muito mais do que beijo, sexo, alguns minutos numa balada e tchau. Quero meu coração saltando pela pele, sentir frio na barriga, ansiedade e ser chamada de ridícula pelos amigos por estar apaixonada. Todos esses processos não estão escritos num manual, infelizmente, mas demandam tempo e paciência que só são construídos com espera. Bom, eu escolhi esperar por alguém que também esteja me esperando, mesmo que não saibamos disso ainda. Quero alguém que esteja esperando por um amor há muito tempo, não por um babaquinha que acabou de chegar na balada e quer uma língua tocando-o por alguns segundos. Beijo é bom, sexo é bom, mas ter tudo isso com amor e admiração é melhor ainda. Alguém que nos ligue para saber se estamos bem ou esteja conosco em momentos ruins é melhor ainda. Nesse aspecto da vida faço questão de ser exigente! Sabe, de uma vez por todas é preciso entender que a pessoa certa não é aquela com qualidades delimitadas, é na verdade um ponto de vista contrário; é entender o que ela NÃO deve ter. Se um homem é incapaz de cumprir com uma simples promessa de ligar, de estar disponível quando se prontifica, e não o cumpre... Não é o ideal. Se um homem não é capaz de pronunciar um pedido de desculpas quando sabe do estrago que causou, esse com certeza não é quem deve ser chamado de amor. Não somos nós quem devemos nos ajustar a inconstância e superficialidade de alguém. Quem é como um vinho caro jamais será apreciado por quem está acostumado com pinga barata. Mais ou menos isso, entenderam? Sou meio louca mesmo, sou meio estranha e cá entre nós... Tenho um orgulho absurdo de ser exatamente assim. Quero consistência, quero sentir verdade em cada escolha, nada de preencher momentaneamente e ter de remediar o vazio no dia seguinte. Escolhas pensadas nos levam a resultados felizes. Escolhi me colocar numa redoma, como se fosse feita de ouro, me poupando até permitir que alguém toque.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Sempre me surpreendo com o que você escreve. Acho que você é uma das únicas mulheres que conheço (pouco, mas conheço)que sabe argumentar muito bem o que pensa sobre o amor e admito que concordo com muitas coisas do que você escreveu. Continue sempre assim que você, com certeza, vai muito longe. =D

    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Raíssa, sua descrição sobre o amor é tudo o que eu sinto!! A maneira como você escreve foi mais transparente do que a ideia que eu mesma tinha!! Adorei o seu blog!!
    Também estou na mesma espera "escolhi esperar por alguém que também esteja me esperando, mesmo que não saibamos disso ainda. Quero alguém que esteja esperando por um amor há muito tempo, não por um babaquinha que acabou de chegar na balada e quer uma língua tocando-o por alguns segundos".

    Bjus

    ResponderExcluir